, ,

Saltos de desenvolvimento: o que são e quanto tempo duram

Tempo de leitura: 8 minutos

Principalmente no primeiro ano de vida, os pequenos ganham muitas habilidades. O problema é que, a cada início do desenvolvimento dessas novas características, é comum que o bebê se sinta um pouco perdido e carente. Por isso que o choro, a birra e o mau humor podem aparecer e tirar o sono das mamães.

Porém, esses comportamentos são completamente normais e essenciais. Conhecer os saltos do desenvolvimento infantil vai te ajudar a entender melhor como lidar com cada uma das fases dos primeiros aninhos do seu pequeno ou pequena e tornar a jornada da maternidade mais prazerosa. Vem conferir com a Casatema tudo sobre o tópico:

O que são os saltos de desenvolvimento?

Os saltos de desenvolvimento são os momentos em que o bebê está adquirindo novas habilidades motoras e sensoriais que envolvem o paladar, a visão e o tato. Esses ganhos costumam vir com alguns equilíbrios comportamentais que causam preocupações às mamães e desconfortos ao próprio bebê, apesar de serem completamente normais.

Imagine o quão empolgante é descobrir outras facetas do mundo em que vivemos e até mesmo outras capacidades do seu próprio corpo? É essa a emoção que os bebês sentem e que acaba se apresentando de forma intensa e conflituosa, porque o seu cérebro ainda está em formação e sofre dificuldades em lidar com as novas informações.

Por isso, é essencial que os pais auxiliem nesse processo de forma paciente, solidária e certeira na abordagem. Para entender exatamente como realizar esse processo, confira quais são os saltos de desenvolvimento e depois garanta a prática de atividades que fortalecem a relação entre mãe e filho.

Quais são os saltos de desenvolvimento?

Abaixo, listamos os principais saltos de desenvolvimento para entender o que esperar no primeiro ano do bebê. Mas antes, é importante ressaltar que as informações devem ser usadas apenas como um modelo – cada criança tem o seu próprio tempo e ritmo de adquirir novas habilidades, sendo que algumas sequer demonstram alterações comportamentais.

Por isso, não se apegue tanto às idades indicadas: o importante é permitir que o seu filho se desenvolva de sua maneira particular e, na dúvida, veja dicas de como matar o tempo livre da criançada para aliviar o estresse ou, em casos mais graves, consulte um pediatra de confiança.

1° Salto

Idade: 5 semanas ou 1 mês

O primeiro e mais conhecido salto de todos é o que envolve o desenvolvimento da visão dos pequenos. Para eles, os rostos ficam mais reconhecíveis, as cores mais nítidas e o formato dos objetos fica bem definido, de forma que até os bebês com daltonismo sentem esse salto. Basicamente, eles estão descobrindo que conseguem enxergar!

Até então eles costumavam dormir durante grande parte do dia, mas agora passam a ficar acordados por períodos maiores.

Além disso, os bebês começam a responder ao toque físico e a dar os seus primeiros sorrisos intencionais, e não apenas aqueles provocados por reflexo. As dificuldades desse salto incluem um choro mais fácil, a necessidade de mais contato e uma maior vontade de mamar por mais tempo.

dois bebês abraçados deitados de barriga para cima

2° Salto

Idade: 8 semanas ou 2 meses

O segundo salto acontece quando o bebê começa a descobrir que consegue pegar (com pouca precisão) as coisas com as mãozinhas, desenvolvendo a sua coordenação motora. Com a sua visão mais apurada, eles conseguem fixar melhor o olhar também. Ao encontrar um objeto, eles não conseguiram levantá-lo, mas já vão tocar e se interessar mais.

Como a coordenação motora também envolve os músculos da face, os sorrisos e as expressões faciais dos pequenos serão bem definidas – a felicidade que as mamães sentem ao ver o seu filhote retribuindo sorrisos é única!

Os efeitos da conquista dessas novas habilidades podem incluir o aumento na frequência de mamar.

bebê de barriga para baixo com mamadeira na boca

3° Salto

Idade: 12 semanas ou 3 meses

É neste salto que acontece o fim da exterogestação e, com ele, a percepção dos bebês de que eles são corpos únicos, e não uma extensão da mamãe. Além dessa grande evolução, eles começarão a tentar acompanhar objetos com o olhar e com a movimentação da cabeça, visto que o seu pescoço está mais firme.

Isso muda completamente a perspectiva deles, que antes conseguiam observar somente o que lhes aparecia no campo de visão. As habilidades motoras também são aprimoradas, de forma que os pequenos vão começar a agarrar chocalhos e outros brinquedos e batê-los na mesa.

As mamães percebem que seus filhos estão nessa fase porque eles choram mais alto, gritam e começam a chupar o dedinho.

bebê abraçado com a mãe sorrindo

4° Salto

Idade: 19 semanas ou 4 meses

De acordo com várias mamães, esse é o salto que pode ser mais percebido. Isso porque, apesar de não sentirem mais tantas cólicas, os bebês de repente ficam ‘chatinhos’, reproduzindo comportamentos como deixar de dormir bem, mudar de humor bruscamente e pedir colo a todo instante. No entanto, essas são apenas respostas à grande nova habilidade deles: rolar!

Agora, eles conseguem dar aqueles clássicos giros no berço e às vezes até conseguem ficar de 4, com as mãozinhas para baixo e o pescoço bem levantado. A mudança de comportamento acontece porque, ao tentar essas novas práticas, os bebês caem diversas vezes e acabam se frustrando.

Outra característica desse salto é a presença de grunhidos e gritinhos agudos.

5º Salto

Idade: 20 semanas ou 5 meses

Na metade da trajetória de saltos que os bebês passam, eles começam a testar as consequências de suas ações, demonstram insatisfação quando não estão com as mamães e prestam mais atenção aos detalhes à sua volta, então os potes de calma são ótimos para distraí-los.

É neste salto que as crianças entram naquela fase de jogar as coisas para longe e chorar bastante, sabe? O colo e a amamentação ajudam bastante!

6º Salto

Idade: 28 semanas ou 7 meses

Nesse salto, as palavras e seus significados fazem mais sentido. Os bebês começam a propositalmente bater palmas e até a tentar engatinhar, além de ficarem mais carinhosos, pois querem atrair as atenções.

Espere mais demonstrações de afeto e uma vontade maior de ficar com você, o que abre espaço para começar a introduzir algumas atividades montessorianas educativas.

bebê sentada na cama sorrindo

7º Salto: “O que é? Para que serve?”

Idade: 40 semanas ou 10 meses

Depois de passar um tempinho absorvendo as habilidades do salto anterior, os bebês partem para começar a entender a função dos objetos e a sua correta utilização, que é quando eles tentam usar a colher para comer, por exemplo. Por falar em comer, eles vão indicar quando querem mais comida e quando têm outras vontades individuais.

É por isso que os pequenos passam a ficar mais bravos e frustrados ao não receberem o que querem, o que faz parte do processo. Às mamães, só cabe ensiná-los como expressar os seus desejos de outras formas mais claras e garantir a sua distração com outras atividades, como as incríveis caixas sensoriais.

8º Salto: Brincando com objetos

Idade: 44 semanas ou 11 meses

Agora, a criança pode formular brincadeiras mais criativas com base no comportamento das pessoas a sua volta, como ao fingir que um prato é um volante e o controle remoto um telefone. Como vão começar a explorar mais os ambientes, não deixe de se atentar a possíveis alergias na pele!

Ah, e como o seu pequeno pode ter alguns ataques de raiva, chorar com frequência e ter um sono bem mais instável, tente não atribuir preocupações excessivas a esses comportamentos.

criança menina brincando com brinquedos de pelúcia

9º Salto: O início das escolhas autônomas

Idade: 1 ano e 2 meses

Como as crianças começam a tentar se vestir sozinhas e a testar negociações, é importantíssimo montar um quarto montessoriano para que elas possam aprender essas atividades de forma segura, prática e autônoma. Isso reduzirá consideravelmente comportamentos relacionados com a frustração de fracassar, como o choro e a birra.

10º Salto: Controle do seu corpo

Idade: 1 ano e 6 meses

No último grande salto de seu desenvolvimento, as crianças descobrem que podem controlar as suas ações, o que pode desencadear o início do período da desobediência.

Afinal, elas desejam várias coisas, mas como ainda não têm controle integral da linguagem, não conseguem fazê-lo. Além desses atritos, você pode presenciar uma perda de apetite e o aparecimento de pesadelos.

São muitas informações e esperamos te ajudar a entender os comportamentos do seu pequeno, mamãe! Se quiser conferir quais são as próximas etapas da vida do bebê, confira também o nosso post sobre as fases e os períodos sensíveis infantis de acordo com o método Montessori!

About Leandro Varela

Deixe um comentário

Anterior

Cristaleiras Modernas: 4 modelos para você investir

Camas de criança: o guia para escolher a ideal

Próximo