Autonomia Infantil: o que é, benefícios e como estimular

Tempo de leitura: 6 minutos

Segundo a UNESCO, a autonomia infantil é o compilado dos 4 pilares da educação: aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a conviver e aprender a ser.

O objetivo é influenciar o desenvolvimento infantil de forma saudável e ensinar os pequenos a pensarem e agirem por conta própria.

Neste post, você pode entender a importância da autonomia infantil e como a estimular de forma saudável. Boa leitura!

O que é a autonomia infantil?

A autonomia na infância é o incentivo ao aprimoramento da cognição e coordenação motora.

Ao contrário do que se pode pensar, ela não está relacionada à adultização infantil, que é basicamente o impulso de fazer as crianças amadurecerem cedo demais.

São ações diárias que as crianças podem tomar através do incentivo dos pais para desenvolver a sua independência e liberdade!

Quais são os benefícios da autonomia infantil?

Quer saber por que nós, como pais, devemos garantir que os nossos filhos desenvolvam a independência? Confira:

Família composta por mãe, pai e criança em cozinha preparando almoço.

1. Aumenta a autoestima

A autonomia aumenta a autoestima dos pequenos, uma vez que a criança passa a conseguir realizar diversas atividades sem necessitar da ajuda de outras pessoas.

Dessa forma, ela se sente feliz e bem consigo mesma. É nesse momento que os pequenos aprendem que são capazes de comer sozinhos e arrumar os próprios brinquedos, por exemplo.

Essa é uma característica cuja proporção se torna muito maior com o tempo e que é essencial na vida adulta.

2. Aprimora a comunicação social

A comunicação social é uma das habilidades cognitivas que as crianças mais desenvolvem no início da infância – tanto que a linguagem infantil passa por inúmeras mudanças até amadurecer completamente.

Com a autonomia desenvolvida, os pequenos conseguem mais facilmente pedir, contar e transparecer seus desejos aos pais de forma assertiva.

Ou seja, a fase do choro e da birra – que acontece pela incapacidade da criança de transmitir claramente as suas vontades – será bem menor.

Dica extra: não invada a história deles (completando palavras ou corrigindo) enquanto estiverem contando, deixe que eles se esforcem para buscar as palavras corretas.

3. Ensina a lidar com frustrações

A primeira frustração de uma criança é imaginar uma ideia muito boa e não conseguir colocá-la no mundo real. Isso acontece, por exemplo, ao tentar fazer desenhos, esculturas de massinhas e brincadeiras desafiadoras.

Essas situações ensinam o pequeno a lidar com desapontamentos inevitáveis de forma saudável. Olhar para o “problema”, aceitá-lo e procurar formas de melhorar da próxima vez.

A autonomia ensina que devemos nos responsabilizar pelo nosso desempenho e não sucumbir em casos de fracasso.

4. Incentiva a tomar decisões por meio de experiências

O neocórtex é a região cerebral responsável pela tomada de decisões. O seu amadurecimento começa no nascimento e termina após os 21 anos de idade.

O problema é que, até atingir o completo desenvolvimento, os filhos são impulsivos e tendem a ser indecisos.

Por isso, estimule que pensem de forma empírica através da autonomia. Isso significa entender que as experiências (boas e ruins) são essenciais para aprender e tomar escolhas mais certeiras no futuro.

5. Aumenta a autoconfiança

O ato de conquistar os próprios desejos aumenta a autoconfiança. Criar pequenos que se sentem aptos para resolução de problemas é o princípio de adultos bem resolvidos.

Portanto, estimule a criança a defender os seus desejos, argumentar sobre eles e não ter medo de se posicionar.

6. Amplifica a criatividade

A criatividade infantil é um dos maiores benefícios da autonomia.

Afinal, os pequenos aprendem que não há limites para imaginação e descobrem os seus próprios gostos. A partir disso, desenvolvem até a coordenação motora fina necessária para criar coisas novas e brincar com coisas delicadas.

Como estimular a autonomia infantil?

Homem almoçando e observando menina comer sozinha.

Estimule a independência infantil através de pequenas atitudes do dia a dia. Exemplo: peça a criança para realizar as refeições sozinha, arrumar o próprio quarto e escovar os dentes. Entenda melhor nos próximos tópicos:

Deixe a criança comer as refeições sozinha

Entregue o pratinho com a refeição picadinha para que ela pegue com um garfo ou colher e leve à boca. Deixe que treine o movimento e termine de comer sozinha.

Quando ela estiver maiorzinha, ensine-a como limpar a boca e a levar o prato sujo até a pia da cozinha.

Ensine a organizar os brinquedos

Você já conhece os móveis montessorianos, peças feitas especialmente para o tamanho dos pequenos? Com eles, as crianças conseguem organizar os brinquedos sozinhas nos armários, nichos, organizadores e gavetões.

Assim, ela tem a liberdade de pegar o que quiser para brincar e já sabe onde guardar. Crie um quarto infantil feito para os pequenos, isso é acessibilidade e incentivo à independência.

Cobre a escovação dos dentes

A escovação dos dentes é fundamental para prevenir cárie de mamadeira e outras doenças bucais. Tenha uma escova própria para os pequenos, com cerdas macias, em formato U ou de encaixar nos dedos.

Incentive a arrumar a cama ao acordar

Segundo o William H. McRaven, ex-almirante da marinha dos EUA, “se você quer mudar o mundo, inicie arrumando a cama“. A partir desse pequeno desafio diário, as crianças condicionam o seu corpo e a mente a ir atrás de novas conquistas.

Por isso, incentive as crianças a conquistarem os pequenos desafios e, assim, ambicionam os maiores.

Veja também: como escolher a cama ideal para crianças

Ensine a tomar banho sozinha

Os filhos devem receber ajuda para tomar banho nos seus primeiros 2 anos de idade. A partir dessa idade, são capazes de participar da própria higienização (mas em pequenas etapas!).

Eles conseguirão tomar banho independentes quando atingirem os 5 anos. Até chegar o momento, explique como eles devem se limpar, qual é a ordem dos produtos e como usá-los.

Peça auxílio na tarefas domésticas

Pedir aos pequenos para limpar a casa, guardar a louça e estender a roupa é super válido para incentivar a autonomia! Essas atividades são tão importantes que estão entre as principais tarefas domésticas que as crianças podem fazer, leia depois.

Chame-os para realizar as tarefas junto com você, assim elas aprendem a maneira correta de limpar, guardar e organizar os bens da casa. Inclusive, transforme esse momento em uma descontração entre mãe/pai e filhos.

Com o tempo, torne essa uma responsabilidade inteiramente deles.

Arrume a mochila da escola

Arrumar a mochila para a escola é o maior ato de responsabilidade que uma criança pode ter. Afinal, se esquecer um caderno em casa, ela sofrerá as consequências no colégio.

De início, arrumem juntos. Após cerca de 3 semanas da repetição desse hábito, deixe que ela arrume sozinha e confira depois. Por fim, depois de mais 3 semanas, confie na organização da criança.

E então, gostou deste post? Esperamos ter lhe ajudado a entender a importância do estímulo da autonomia infantil!

Continue acompanhando o blog Casatema para mais assuntos relacionados ao desenvolvimento das crianças. Aproveite para aprender mais sobre esse universo, confira atividades montessorianas para fazer com as crianças.

1 comentário em “Autonomia Infantil: o que é, benefícios e como estimular”

Deixe um comentário

Anterior

Ensaio de gestante criativo: 10 ideias para inovar

Brincadeiras antigas: lista com 10 melhores e como brincar

Próximo