, ,

Criatividade infantil: por que estimular e como fazer?

Tempo de leitura: 7 minutos

A imaginação aflorada é uma característica intrínseca em todas as crianças e isso é perceptível por meio de suas brincadeiras, atividades e maneiras de ver o mundo.

Para incentivar essa habilidade mágica dos pequenos, é preciso desenvolver sua criatividade. Com o tempo, é ela que é responsável por fazê-los conhecer e entender o mundo afora, cultivando novas experiências por toda a sua vida.

Além disso, a criatividade permite que outras qualidades apareçam, como coragem, inovação e raciocínio rápido. Ou seja, ela será muito útil no futuro, ajudando as crianças em seus estudos e até no mercado de trabalho.

Continue sua leitura e entenda um pouco melhor sobre a criatividade infantil, sua importância e como estimulá-la.

Qual é a importância da criatividade infantil?

Para as crianças, praticamente tudo é novidade sobre o mundo que as rodeia, então elas têm curiosidade sobre tudo. Isso faz com que as dúvidas sejam constantes e sempre direcionadas aos pais – a famosa fase dos por quês.

O papel da criatividade infantil é importante porque indica que os pequenos estão realizando as tão necessárias adaptações ao mundo externo e que o seu desenvolvimento está acontecendo.

É por meio dela que eles conseguem construir a sua identidade, gostos, personalidade, medos, experiências, ideais etc. Ou seja, ela não deve nunca ser podada com gestos de impaciência ou descontentamento emitidos pelos seus responsáveis.

A criatividade também reflete na capacidade de criar e inovar em diversos ambientes e situações, sendo uma atividade espontânea que aprimora a interação das crianças com o mundo.

E é justamente por isso que é importante trabalhar e desenvolver atividades que promovam uma mente criativa, lúdica e aventureira desde cedo.

Leia também: Saltos de desenvolvimento: o que são e quanto tempo duram

Como estimular a criatividade das crianças?

Abaixo, separamos algumas tarefas básicas que podem partir como iniciativa dos próprios pais para ajudar seus filhos a desenvolverem uma mente criativa. Confira:

1. Desperte o pensamento crítico

Incentivar os pequenos a pensarem fora da caixa é uma das melhores maneiras de promover a criatividade desde cedo.

Para isso, é necessário ensiná-los a analisar as ações que pratica e como elas afetam o ambiente/pessoas ao redor. Basicamente, refletir sobre as coisas que acontecem junto com as crianças, e não entregar respostas prontas.

Por exemplo: a sua filha derrubou um copo de suco no chão, esparramando todo o líquido. Ao invés de imediatamente reagir de forma frustrada, pergunte a ela o que acha que aconteceu e qual foi a consequência daquilo.

A resposta provavelmente será algo como “eu bati sem querer no copo e o chão ficou sujo”. Questione o que ela acha que deve fazer para lidar com a bagunça (se a criança não souber responder não tem problema, os pais podem sempre sugerir) e auxilie na tarefa de limpeza.

Ao final, é importante parabenizá-la pelo gesto e reforçar a lição aprendida: precisamos ter cuidado com objetos que estão cheios de suco ou água, pois eles podem cair e fazer muita sujeira.

Com abordagens reflexivas como essa, você está ativamente auxiliando no desenvolvimento do senso crítico dos pequenos, o que é fundamental para que a sua criatividade floresça na hora de lidar com os problemas e adversidades na vida.

Ademais, a leitura de histórias e o contato com outras culturas em viagens também são maneiras que podem contribuir para que eles desenvolvam uma visão mais ampla sobre o mundo ao seu redor.

Leia também: 9 brinquedos montessorianos para crianças de 0 a 3 anos

2. Explore a tecnologia

Existem diversas opções de equipamentos tecnológicos que podem ser aproveitadas pelos pais para conseguir que seus pequenos tenham mais contato com atitudes e modos de pensar criativos.

Os pequenos amam videogames, celulares, tablets e computadores pelos jogos, vídeos e conteúdo disponível neles. No entanto, esses mesmos dispositivos têm gerado muita preocupação nos pais devido à grande quantidade de tempo que as crianças passam neles.

Isso é válido, mas a boa notícia é que esses equipamentos podem ser aproveitados de uma forma mais produtiva, trabalhando a criatividade infantil.

Para isso, basta apostar em jogos, aplicativos e filmes que trabalhem com atividades artísticas, como pintura, música, dança e afins. Navegando pelo mundo online, podemos encontrar diversos conteúdos para ocupar o tempo de tela dos pequenos com atividades mais educacionais.

3. Incentive a adoção de hobbies

Tanto a criatividade quanto a imaginação podem ser desenvolvidas por meio de atividades como desenho, pintura, montagem de blocos, tocar instrumentos musicais, ler etc.

Talvez seja necessário testar algumas opções até encontrar um hobby que realmente interesse e cative o seu pequeno, mas isso é importantíssimo para incentivar a criatividade dele mesmo nos momentos de lazer.

Leia também: Desenvolvimento cognitivo infantil: o guia para estimular

4. Ofereça maneiras diferentes de realizar tarefas

Uma característica muito notável em pessoas criativas é a busca por novas maneiras de realizar determinadas tarefas, buscando sempre por inovações que tornam a vida mais prática.

Se o seu filho está fazendo uma atividade doméstica, por exemplo, e não para de reclamar sobre ela, pergunte se ele consegue pensar em uma forma mais fácil/rápida de terminá-la.

Ao propor aos pequenos que façam as tarefas de maneiras diferentes, você também fará com que eles busquem quebrar a rotina em diversas situações repetitivas que eles podem enfrentar – tanto na infância como na vida adulta.

5. Proponha desafios

Em meio a situações desafiadoras, temos a tendência de buscar a solução para aquele problema o quanto antes, não é mesmo? Isso é criatividade e raciocínio lógico puro!

Para os pequenos, desafios como arrumar a cama todos os dias, montar um quebra-cabeça em tantos minutos e/ou escrever um poema podem ser um caminho perfeito para trabalhar esses aspectos.

A ideia é fazer com que eles reflitam bastante sobre determinada atividade, mesmo que ela se mostre difícil de concluir.

6. Sempre responda às suas dúvidas

Por mais simples que pareçam, as dúvidas infantis são ingênuas e sinceras. Por não terem experiências suficientes, os pequenos sempre se baseiam nos pais para sanarem seus questionamentos.

Portanto, independentemente da pergunta realizada, os pais sempre devem responder às dúvidas dos pequenos – caso necessário, é possível adaptar a resposta de acordo com a idade dos filhos.

Evite deixar perguntas em branco, pois isso pode desestimular o subconsciente infantil a desenvolver seu lado criativo.

7. Trabalhe a autonomia desde cedo

A depender da idade das crianças, é possível que elas façam suas atividades por conta própria sem o auxílio dos pais por meio da autonomia infantil.

Para isso, o método montessoriano é um grande aliado. Ele busca trazer móveis infantis que dão a liberdade para que os pequenos possam fazer atividades básicas de sua rotina, como brincar e ir dormir, por conta própria.

Como pais, vocês precisam mostrar às crianças que elas podem aprender por conta própria o funcionamento das coisas, por meio de pesquisas e muita observação.

O que você achou deste conteúdo? Esperamos que tenha gostado e que tenhamos o ajudado a entender um pouco melhor sobre essa importante qualidade que os pequenos levarão consigo por toda a vida.

Aproveitando o assunto, que tal aprender mais sobre aspectos da educação infantil? Veja só outros posts relacionados que temos aqui no blog da Casatema:

51 trava-línguas infantis para desafiar as crianças

Quarto aconchegante — aprenda como criar um

Como organizar cômoda de bebê: passo a passo completo

Deixe um comentário

Anterior

9 tipos de choro de bebê: significados e como identificar

Bebê com icterícia: o que é, causas e tratamentos

Próximo