, ,

Chegada de um bebê: 4 dicas definitivas para se preparar

Tempo de leitura: 6 minutos

A chegada do bebê transforma completamente a vida da mamãe e do papai. Agora, vocês têm uma mini pessoinha para cuidar, amar e proteger, o que traz os sentimentos mais lindos e preciosos que já sentiram e, inevitavelmente, outras emoções que remetem a insegurança e preocupação.

Afinal, é um serzinho tão frágil em suas mãos! Para te ajudar a amenizar a ansiedade com o nascimento que está por vir e a se preparar por completo para a chegada do bebê, o Blog da Casatema separou 4 dicas que cobrem a saúde mental das mamães, as necessidades das primeiras fases do desenvolvimento infantil e as adaptações domésticas que precisam ser feitas. Confira!

mãe e bebê deitados na cama sorrindo

1. Preparar tudo com antecedência

Comprar as roupinhas e todos os itens de higiene e alimentação, consultar os profissionais indicados, preparar o espaço do quarto infantil e montar o berço são apenas alguns pontos da extensa lista de preparação que entra em cena com a iminente chegada do bebê. E não são pontos pouco elaborados não!

A única forma de garantir que todos eles estarão em ordem quando o pequeno aparecer é por meio de muita antecedência, já que podem existir diversas variáveis que interferem no processo: o berço não cabe no cantinho que reservou do quarto, a loja de artigos de bebê mais próxima está sem peças de recém nascido, a pediatra desmarcou a consulta, dentre outros fatores.

Por isso, quando estamos falando das preparações para acomodar o bebê, lembre-se de que tudo deve ser feito com tempo de sobra para lidar com as possíveis pedras no caminho. A recomendação é organizar e adaptar a casa, montar o quartinho infantil e comprar o enxoval logo no início do segundo trimestre, a partir da 13ª semana.

2. Não tenha medo de pedir ajuda

Não há dúvidas de que as mamães conseguem, mas a questão é que elas não precisam. Criar o bebê e manejar as outras demandas de casa sozinhas já seria exaustivo por si só, sem sequer considerar as alterações hormonais pós-gestação, cobranças (principalmente as autocobranças), adaptações domésticas e todas as outras dificuldades que chegam junto com o filho.

Por isso, dizemos que você não deve ter medo de pedir ajuda externa! E, com isso, não estamos nos referindo ao papel do pai, que não pode ser considerado uma “ajuda” – cuidar do filho é igualmente a sua obrigação.

Contar com a sua rede de apoio, a sua mãe, irmã, sogra, tia ou amiga é uma mãozinha extra bem valiosa para comprar e preparar as roupinhas, montar os móveis de bebê e semelhantes.

Lembre-se que a maternidade e a paternidade são experiências pessoais: não é porque outra mãe conseguiu cuidar do bebê, trabalhar fora e ainda manter a casa brilhando sozinha que você deve fazer o mesmo. As dificuldades que vem da maternidade não são universais, mas todo mundo passa por elas, mesmo que não pareça.

Já está na hora de normalizarmos o fato que as mamães não precisam ser super heroínas 100% do tempo e têm todo o direito de ter os seus momentos de fraquezas, inseguranças ou erros. Com essa realização, você perceberá que não tem nada de errado em contar com ajuda externa para se sentir mais confiante e preparada para a chegada do bebê.

3. Prepare a casa e o quarto do bebê

Numa típica lista de preparações para a chegada de um bebê, sempre podemos deduzir que a montagem e organização do quartinho estará presente. No entanto, o que algumas mamães podem não saber, é que a própria casa precisa ser revisada e adaptada por inteiro para acomodar a criança com segurança.

É claro que os recém-nascidos não vão explorar os cômodos sozinhos, mas o tempo voa de uma maneira impressionante com eles e, em pouco tempo, estará tendo que correr para impedir que o seu pequeno desça do sofá sozinho sem estar preparado. Por isso, o ideal é já trazer o bebê numa casa 100% segura e protegida com medidas como:

  • Revestir as quinas e cantinhos afiados dos móveis com acessórios protetores;
  • Colocar rolinho protetor e babá eletrônica no berço;
  • Tampar todas as tomadas e outlets da casa com protetores plásticos;
  • Colocar protetores de EVA no formato de U nas portas;
  • Instalar grades de proteção nas escadas, tanto em cima quanto embaixo;
  • Escolher luzes noturnas adequadas para o quartinho;
  • Proteger piscinas com grades e lonas;
  • Substituir os tapetes que não são antiderrapantes;
  • Manter plantas, sacos plásticos, enfeites e itens afiados longe do alcance;
  • As grades de proteção também devem separar a cozinha, preferencialmente.

Essas não são todas as precauções que precisamos tomar para livrar os pequenos exploradores de perigo, mas focamos em listar as que têm maior prioridade para que você já possa providenciar a sua aplicação antecipadamente.

E sobre o quarto infantil, se você quiser dicas embasadas em teorias pedagógicas, temos um conteúdo completo sobre como montar um quarto montessoriano que vai te ensinar a criar cômodos que incentivam a autonomia das crianças. Bem legal, né?

Veja também: Os 4 principais erros na decoração infantil.

bebê sorrindo deitado no chão segurando mamadeira

4. Não se esqueça dos itens de puericultura

Apesar de ser um nome aparentemente complexo, a puericultura nada mais é do que a ciência que visa proteger o mini paciente contra riscos que possam interferir em seu desenvolvimento físico e mental.

Os itens que fazem parte desses cuidados visados pela puericultura são indispensáveis para o conforto e, principalmente, para a segurança do seu filho. Veja quais são eles:

  • Cadeira para automóveis

Para sair da maternidade, a única forma segura de transportar o bebê no carro é por meio de uma cadeira para automóveis. A resolução 277 do Contran exige que crianças de até sete anos e meio devem, obrigatoriamente, ser transportadas somente no banco traseiro com bebê conforto, cadeirinha ou assento de elevação e cinto de segurança!

  • Almofada de amamentação

A amamentação é um dos períodos mais lindos e importantes da vida da mãe e seu bebê. A almofada de amamentação serve para tornar o momento mais seguro e confortável para o pequeno, além de posicioná-lo melhor no colo da mamãe.

  • Cadeirinha de descanso

Para levar o bebê em passeios ou somente para tê-lo por perto enquanto não aprende a sentar, a cadeirinha de descanso é um equipamento bem valioso. Ela permite que a criança possa ser mantida em diferentes ambientes com segurança e também pode oferecer entretenimentos – procure por modelos com arcos de brinquedos para estimular a interação e a criatividade!

bebê sentado escorado em um cesto de roupas

Esperamos ter te ajudado a se preparar, tanto no seu coração quanto no seu lar, para a chegada do bebê. Para comemorar o nascimento do seu filhote ou princesinha, confira o nosso post com 4 ideias para não deixar os mesversários passarem em branco!

About Leandro Varela

Deixe um comentário

Anterior

9 livros para bebês recomendados pela Casatema

Introdução alimentar – Saiba como deve ser feito o método

Próximo