Método Montessoriano: quando surgiu? Em que consiste?

O mundo é feito para adultos. Nesse cenário de “gigantes”, é comum que as crianças se sintam desamparadas, desimportantes, excluídas e impossibilitadas de desenvolver sua habilidade mais natural: aprender!

Para mudar essa história, nasceu o método montessoriano: uma maneira inovadora e muito eficiente de conceber a infância e suas características, valorizando a individualidade, autonomia e responsabilidade da criança.

Está perdida no assunto? Calma, a gente te conta tudo! No post de hoje, você vai conhecer os 6 pilares da teoria de Maria Montessori, como surgiu o método e, assim, detonar alguns mitos nocivos sobre educação montessoriana. Acompanhe:

O nascimento do método: conheça Maria Montessori

Pintura barroca de maria montessori

Maria Tecla Artemísia Montessori (1870-1952) foi uma mulher muito à frente de seu tempo. Corajosa e inovadora, foi uma das primeiras mulheres italianas a concluir a formação em medicina. Fascinada pelo desenvolvimento humano, revolucionou o modo com que o ocidente entende a educação e aprendizagem das crianças. 

Trabalhando com pequenos, a médica e pedagoga observou que o desenvolvimento se dá pela individualidade: cada criança cresce em seus próprios termos, com afinidades particulares e dificuldades também específicas.

Observou, ainda, que a educação tradicional ignorava as características pessoais de cada criança, além de exigir que ela aprenda nas mesmas condições dos adultos. As aulas se concentram no professor, que retirava qualquer autonomia das crianças e transmitia conhecimentos de maneira vertical, sem participação da turma. Confundia-se disciplina com passividade. 

Neste sentido, Montessori arregaçou as mangas e desenvolveu um método em que o centro do desenvolvimento é a criança e suas habilidades natas. Para a autora, crianças nascem preparadas para assimilar o mundo de sua maneira especial, e possuem individualidades ricas que devem ser respeitadas.   

Pilares da proposta Montessoriana

Quer entender a fundo a teoria do método? Em seu livro O Segredo da Infância, Maria Montessori estruturou 6 pilares fundamentais para entender o desenvolvimento da criança de acordo com sua concepção inovadora. A seguir, apresentamos cada um deles:  

  • Ambiente organizado

De acordo com o método, o espaço em que a criança será inserida deve incentivá-la física e psicologicamente. Por isso, materiais e objetos didáticos são importantíssimos.

Você já viu uma sala de aula montessoriana? Ela possui móveis baixinhos e fáceis de acessar. Isso acontece pois um ambiente de educação organizado de acordo com a teoria deve manter disponíveis à criança todos os materiais que ela utilizará. 

Dessa forma, o indivíduo fica livre para pegar o que precisa e organizar tudo ao final. Para Montessori, com organização da vida material, também se organiza o pensamento – e esse processo deve ocorrer de maneira autônoma, partindo do próprio indivíduo com auxílio dos adultos. Não há educação sem organização! 

  • Autoeducação

Observando o desenvolvimento dos pequenos, Maria Montessori concluiu que crianças possuem uma habilidade inata e natural para aprender. Por meio do contato com indivíduos de seu meio, ela aprende sozinha a andar, falar, comer, interagir. Se inserida em um ambiente saudável e rico, a criança se desenvolverá por si mesma.

Por essa razão, escolas montessorianas costumam unir idades diferentes em um mesmo ambiente. Em contato com crianças mais velhas, os menores buscam espelhar suas atividades para atingir níveis mais avançados de desenvolvimento: interessam-se mais cedo pela leitura e linguagens mais sofisticadas, além de expandirem seus leques de experiência.

Ao mesmo tempo, convivendo com crianças mais novas, os maiores podem experienciar um microcosmo diverso, que imita a vida no mundo – repleta de pessoas diferentes que se relacionam, negociando seus desejos, direitos e deveres. Desenvolve-se, assim, um olhar empático e cuidadoso que será levado às próximas fases do desenvolvimento.

O enriquecimento do ambiente com pessoas e materiais é a melhor maneira de incentivar a autoeducação. É prover os elementos necessários para que a criança exerça suas capacidades naturais de descobrir e se desenvolver!

  • Educação como ciência

Uma prática pedagógica sob o método montessori busca conduzir uma aula assim como se conduz um projeto científico. Dessa maneira, os conteúdos não são transmitidos do professor aos alunos, num processo verticalizado e mecânico, mas são construídos por toda a turma, em conjunto, com a liderança participativa do professor.

Casa assunto novo, portanto, é descoberto por todos em um trabalho de investigação, raciocínio e discussão, valorizando a autonomia do aluno e o poder do coletivo. 

  • Educação cósmica

Para que os conteúdos da escola façam sentido, devem estar relacionados em um todo maior, em que tudo se mistura. Quando divididos, os conhecimentos ficam presos ao nível da abstração, sem nunca encontrar funcionalidade ou valor na vida prática.

Aqui, o educador precisa mostrar à criança os caminhos lógicos de compreender o mundo, fazendo-a assimilar as informações recebidas e estimular sua criatividade – tudo isso sob a premissa de que tudo está interligado!

  • Adulto preparado

Este pilar é considerado por muitos o mais difícil dentro da teoria Montessori. Isso acontece por que, em nossas práticas mais tradicionais, carregamos muitos comportamentos nocivos que podem ser difíceis de desconstruir.

De acordo com o método, o adulto deve fornecer à criança o ambiente e a assistência necessários para que ela realize sozinha tudo que estiver a seu alcance. Para isso, deverá ser um ótimo observador e interferir o mínimo possível, sem fazer para a criança nada que ela possa realizar sozinha. Assim, não se desperdiça nenhuma oportunidade de desenvolvimento!

Ao notar que a criança está concentrada em algo, o adulto deve se limitar à observação distante, respeitando a criança e permitindo que ele conheça suas próprias habilidades e dificuldades. Mantendo-se por perto, porém, deve estar disponível para orientar e discutir, oferecendo poucas respostas e muito incentivo à investigação

  • Criança equilibrada

No método Montessori, acredita-se que, com o ambiente adequado e a presença de um adulto preparado, a criança está livre para desenvolver-se plenamente, de maneira equilibrada e feliz.

Por criança equilibrada, entende-se um indivíduo empático e calmo, com habilidade de se concentrar e respeitar a concentração do próximo, responsável e autônomo, com autoestima elevada para realizar suas potencialidades e autocontrole para lidar com pessoas e coisas. É a criança que se desenvolve naturalmente, respondendo às características de cada fase do seu crescimento.

Dúvidas frequentes: método montessori na prática!

crianças-com-lupas-analisando-pinhos

  • Em qual idade devo introduzir o método montessoriano na vida do meu filho?

A metodologia pode ser aplicada desde os primeiros meses de vida, com algumas adaptações necessárias para a segurança do recém nascido ou para a energia das crianças maiores.

De toda forma, os quartos montessorianos são facilmente adaptáveis e podem ser aproveitados por todas as fases da infância – por isso, vale a pena montar esse ambiente desde o início da trajetória do seu pequeno!

Quer informações mais completas sobre essa questão? Dê uma olhada no nosso post “Quarto montessoriano: até que idade é adequado?”. Lá, a gente fala de opções Montessori melhor adaptadas à cada fase do desenvolvimento, respondendo dúvidas importantes.

  • Por que os móveis montessorianos devem ser pequenos?

cama infantil montessoriano com telhado em V

A mobília montessoriana é construída de maneira a adequar-se ao tamanho da criança, possibilitando seu acesso a todos os elementos e funcionalidades do ambiente. Sozinha, ela pode subir e descer da cama, abrir portas, acessar e guardar objetos, entre outras ações. 

Na realidade, adequar-se ao tamanho da criança é um procedimento muito frequente no dia a dia do método: ao abaixar-se para falar com o pequeno, o adulto mostra respeito e reconhece a individualidade daquele indivíduo, permitindo que ele se comunique de igual para igual.  

Para saber tudo o que envolve a composição de um quarto montessoriano – móveis, disposição, funcionalidades e acabamento – acesse o post “O que é quarto montessoriano e como montar um”. 

  • No método montessoriano a criança faz o que quer?

Este é um grande mito que cerca a teoria: “não há estabelecimento de limites e, assim, educa-se crianças indisciplinadas, irrepreensíveis e egoístas”.

Essa ideia vem da concepção tradicional de educação, que estabelece limites através do medo de uma possível punição. Não é assim que se educa de acordo com o método montessoriano. 

De certa maneira, não é incorreto dizer que a criança é livre para fazer o que quiser. Para Montessori, o respeito ao indivíduo compreende a aceitação de sua liberdade e autonomia, permitindo que ele possa decidir por si mesmo e lidar com os desdobramentos das suas escolhas.

A liberdade e autonomia do método Montessori, portanto, exigem responsabilidade: quando a criança escolhe um material e o retira da estante sozinha, por exemplo, também deverá colocá-lo sozinha no lugar de origem. 

O incentivo à disciplina vem do respeito do adulto pela criança e da criança pelos adultos e seus iguais. Ao receber respeito e liberdade, desenvolve-se de maneira empática para entender e ajudar outros adultos e crianças, reproduzindo o bom exemplo recebido. 

E aí, conseguiu tirar suas dúvidas sobre esse método educacional super frutífero e ainda pouco aplicado em nosso país? Conte suas impressões e experiências nos comentários! Vamos adorar ver você por lá.

Para não perder nossas atualizações sobre método montessoriano e outros aspectos do desenvolvimento infantil, fique de olho nas atualizações do nosso blog. Postamos materiais novos toda semana!

About blogcasatema

Deixe um comentário

Anterior

Guarda-roupa e cômoda do bebê: organização passo a passo!

Cores para quarto de bebê: veja as principais tendências

Próximo